Dia internacional dos imigrantes




"Kikuji Iwanami nasceu em 1898 na aldeia Shiga, na província de Nagano, Japão. Em 1918 ingressa na agremiação de tankaístas Araragui e torna-se discípulo de Akahiko Shimagui (1876-1926). A revista Araragui, fundada em 1908 é considerada a maior revista especializada em tanka, e tem sua origem ligada ao Neguishi Tankakai, que em 1898 deu início a luta pela renovação do tanka. Segundo Kikuji Iwanami, a forma regular de cinco versos com total de 31 sílabas era apenas uma questão de princípio e não havia obrigatoriedade de se manter as 31 sílabas, distribuídas em versos de 5-7-5-7-7. Assim, entre os seus trabalhos não são raros a desobediência à métrica e o excesso de sílabas. Eis uma afirmação sua: " Os antigos costumavam dizer da necessidade de se afastar cerca de um metro para não se pisar na sombra do mestre, mas isso impede o progresso...É necessário ultrapassar o mestre!"... Casa-se em 1924 e em 1925 emigra para o Brasil onde passa o resto de sua vida. Em 1952 falece aos 55 anos acometido de úlcera do estômago. No Pavilhão Japonês do Parque do Ibirapuera, na capital São Paulo é erguida em 1959 uma lápide onde está gravado o seguinte tanka de sua autoria:


"No meu coração
estão bem guardados
os montes e rios
da terra natal, Shinano...
Rememorarei sempre."

Durante sua vida participou de algumas publicações como as revistas Yashiju e Rinsen (esta última, uma publicação clandestina em japonês), e o Jornal Paulista. Teve dois de seus tankas publicados pela editora Koodansha, de Tóquio, na antologia de tankas contemporâneos Shoowa Man'yooshuu. Após sua morte a revista Yashiju publicou duas edições especiais em sua homenagem. Foi editado o livro Iwanami Kikuji Kashuu, com os 1996 tankas mais representativos. Quarenta de seus tankas foram publicados na antologia Colônia Man'yooshuu e por fim foi editado o livro Toki To Tsuti / Terratempo com 200 de seus tankas em edição bilíngue com tradução de Masuo Yamaki e Raimundo Gadelha", livro do qual tomo todas estas referências.


"Vou semeando
rainhas-margaridas
brancas e vermelhas
para colher e vender,
no Dia dos Finados".

Kikuji Iwanami ((poeta japonês que imigou para o Brasil)

Tradução de Massuo Yamaki

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dia de Reis, desmonte da árvore, romã...

Falecimento Hilda Hilst (2004, Campinas/SP)

FEIRA LITERÁRIA DE ASSIS/SP