Para lembrar o que não houve

Em dois minutos de magia pura
cantamos juntos versos ao luar.
Você jurava que o dia a chegar
seria para nós a partitura

do amor infindo (laço que perdura)
da noite eterna feita pra abrigar
os sonhos nossos de nunca adiar
as tardes calmas, cheias de ternura.

Por que não se tornaram realidade
os nossos sentimentos e desejos
cantados em total cumplicidade?

Os dois minutos de felicidade
deram lugar a pálidos tracejos
do que seria vida e hoje é saudade.

© Márcia Sanchez Luz

Comentários

Mônica, parabéns pelo blog, que está lindo. E obrigada pela delicadeza de postar meu soneto. Adorei!

Beijos

Márcia

Postagens mais visitadas deste blog

Dia de Reis, desmonte da árvore, romã...

Outono!