"DIVERSOS CAMINHOS EM BLOCOS", POR ZANOTO

 


Jornalista famoso do Correio do Sul (Varginha/MG), desde 1950 mantém a coluna lítero-poética "Diversos Caminhos" naquele jornal.
Manteve coluna em Blocos Online de janeiro de 1998 a dezembro de 1999, e agora retorna à Internet, novamente através de nosso site.
FALECIDO EM 21 DE JANEIRO DE 2011

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O ÍNDICE ONOMÁSTICO, POR NOME DOS AUTORES CITADOS E RESPECTIVAS COLUNAS

Coluna nº 70, de 15/3/2011
(IN MEMORIAM)

1. No dia 21 de janeiro de 2011, faleceu nosso queridíssimo colunista Zanoto. Coloquei uma observação na coluna anterior, que foi disponibilizada depois do falecimento dele, é, pois, uma coluna póstuma (já que ele me enviava várias delas, antecipadamente). A de hoje, porém, é in memoriam, homenageando o amigo de trinta anos, que nos escreveu até poucos dias antes de falecer. Posteriormente à notícia repassada por Selmo Vasconcellos, no dia 3 de fevereiro, recebemos do Dr Luiz Henrique de Souza Pinto, um dos filhos de Zanoto, a comunicação de sua morte. A ele, também, portanto, os nossos agradecimentos pela consideração (Leila Míccolis).

2. FLORINDO A ESTRADA
       Para o sempre querido ZANOTO

No sentido de ida
encontramos a vida.
No sentido de volta
não evitamos a morte.
Indo para o Sul.
Indo para o Norte.
É pura sorte
viver um pouco mais.
Mas,
vou florir
todas as estradas
que me levam até você.
    Selmo Vasconcellos

Palavras de Selmo, em resposta às minhas, no Orkut: "Também senti uma dor muito forte no peito. Amava Zanoto. Somos felizardos em conhecê-los. Beijos minha querida. Ele está serenamente m paz. Zanoto agora é tema. É poema".

3. Alguns links de matérias e artigos homenageando Zanoto:
http://leilamiccolis.blogspot.com/2011/03/o-jornalismo-literario-esta-de-luto.html
http://www.blogdomadeira.com.br/uncategorized/morre-zanoto/
http://www.fotolog.com.br/vivacultura/27477784
http://poesiaemtodaparte.blogspot.com/2010/01/zanoto.html
Clique naqui para ler suas colunas em Blocos Online (Diversos Caminhos em Blocos).
Clique aqui para ler sua poesia.

4. A grande despedida
   (dedicado a Zanoto)
Em despedida triste, que jamais previste,
ou que em futuro bem distante sempre lanças,
talvez avances sem saber por onde avanças,
usando trajes que nem mesmo tu vestiste...
Na despedida, uns vão dizer como partiste,
outros  rirão dos teus projetos e esperanças...
e todos te ouvirão, nas vívidas lembranças,
num riso vão, que em cada rosto há de ser triste!
Mas, muito alegre, alcançarás um grande vale,
deixando o corpo inerte entregue a gente tensa,
meio assombrada com tão grande despedida!
Se foste justo, a morte ao fim não se equivale!
Descobrirás, no vale, então, doce Presença,
num belo encontro em que começa a própria vida!
  Josafá Sobreira da Silva
(Enviado por Sérgio Gerônimo)
5.   Três comentários sobre Zanoto:
      "Zanoto, a quem não conheço pessoalmente que mora em Varginha, faz-me a delicadeza de publicar meus versos, textos em prosa, capas de livro, comenta meus lançamentos, publica o que mando de amigos.Gosto de uma característica de sua página:vem cheia de anotações manuscritas, ao lado das letras impressas, o que dá um cunho pessoal de participação e acolhimento" (Clevane Pessoa).
      "Quando cheguei a esta Varginha, há mais de vinte anos, Zanoto foi meu primeiro amigo. Ele me introduziu no mundo das Letras Sul-mineiras, levou-me para a Academia Varginhense e pronunciou o discurso de recepção. Fundamos, com outros três poetas de Três Corações, o GRUPO SUL-MINEIRO DE POESIA,
que ele e eu presidimos, e que tem organizado os concursos em PROSA & VERSO, já em sua edição 15 (Aníbal Albuquerque).
     "Leilinha, eu li [seu depoimento no blog] e, confesso: chorei! Apesar de nao ter tido mais contato com o mesmo, pelo fato de ter saido da direção da Casa do Escritor de São Roque, com sede no Rio de Janeiro, pela minha transferência para a Alemanha, guardo de Zonoto uma excelente recordação! O mais engracado é que cerca de duas semanas atrás, estava com o pensamento muito voltado para ele!!! Agora só nos resta pedir a Deus que lhe dê paz. E desejar que surja no mundo literário pessoas de igual quilate!" (Manni).

6. ZANOTO ETERNO AMIGO

ILUSTRÍSSIMO ZANOTO,
VOU DIZER NOS VERSOS MEUS:
EU NÃO SOU NADA DOS OUTROS,
MAS SEI QUE SOU UM DOS TEUS.

ZANOTO, MEU CARO AMIGO,
DEVO CHAMAR-TE IRMÃO .
POR QUANTO FAZES POR MIM,
MORAS EM MEU CORAÇÃO.

DEPAREI-ME COM UM PEIXOTO
NAS RUAS DE CATAGUASES.
SUSSURREI PARA O ZANOTO:
- É DA FAMÍLIA DOS ASES.

ZANOTO PASSOU A VIDA
CULTIVANDO AMIGOS SEUS.
FELIZ COM A MISSÃO CUMPRIDA,
QUIS NOVAS ORDENS DE DEUS.

ANTONIO CABRAL FILHO
12/03/2011

07. "Na minha coluna "Diversos Caminhos" eu sempre achei que devia divulgar todos os poetas, especialmente os inéditos, aqueles que não tinham espaço na imprensa para mostrar-se. Era necessário encontrar um caminho para os independentes, que não tinham o livro, a revista e os jornais como suporte para o seu trabalho, para saírem da marginalidade, para que a penetrabilidade de suas inspirações se fizesse sensível em âmbito maior literário. (...) Infelizmente, o econômico costuma degradar a capacidade de produção da maioria das publicações alternativas. (...) Nestes quarenta e cinco anos, na atividade literária e no segmento alternativo, absolutamente não foi um ideal vazio, obtive centenas e centenas de compensações favoráveis e agradáveis" ZANOTO, em 6 de janeiro de 2005, Correio do Sul, Varginha/MG, Cad. 2, fls. 2.

Este era Zanoto... E continuará sendo. (Leila Míccolis)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Outono!

LITERATURA DE CORDEL: A MEMÓRIA DO SERTÃO EM FOLHETOS