Os caminhos da poesia

Sargento Di Freitas, policial poeta em Campo Grande (Foto: Hélder Rafael/G1 MS)

Sargento De Freitas escreve e declama poesias
em Campo Grande (Foto: Hélder Rafael/G1 MS

Sargento da PM procura patrocínio para publicar poesias em MS. Sargento encontrou inspiração no dia a dia policial para escrever. A partir da literatura, militar passou a desenvolver ações sociais.

Há dois anos, o 2º sargento da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul Sidnei Garcia de Freitas, de 39 anos, descobriu a vocação para escrever poesias. Desde então, o militar dedicou-se à literatura e já publicou textos em duas antologias. Agora, ele busca patrocínio para editar uma obra de sua autoria, intitulada "A magia da poesia".

O despertar para as letras ocorreu durante o atendimento de uma ocorrência em Campo Grande. "Fomos atender a uma moça que havia sofrido tentativa de estupro. Ela era poetisa e estava muito revoltada com aquela situação, dizendo que queria ser policial para correr atrás do criminoso. Para tentar acalmá-la eu declamei uma poesia de Carlos Drummond de Andrade. Ela gostou, depois trocamos algumas dicas sobre poesia e aí comecei a me dedicar", contou o policial ao G1.

Freitas relata que o processo criativo é espontâneo, e as ideias podem surgir até na viatura. "Teve uma vez que eu e minha esposa brigamos em casa, e na viatura veio a inspiração para os versos. Escrevi ali mesmo e declamei para o meu colega, que achou legal", diz o sargento.

E a reação dos colegas de farda quando ouvem falar da vocação do policial? Segundo Freitas, a maioria fica surpresa mas admira o empenho. O sargento diz que a poesia em sua vida serve para dar vazão à crítica social, pois ele é frequentemente submetido a situações de degradação do ser humano. "Já vi casal que há dias não tinha o que dar de comer ao filho pequeno. Aquilo me comoveu tanto que juntei uns trocados com meus colegas para comprar comida e levar até eles", afirma.

Atualmente, o sargento não atua diretamente no combate à criminalidade. Ele integra o 9º Batalhão de Policiamento Comunitário em Campo Grande, que adota estratégias de aproximação das comunidades e prevenção da violência. A partir dessa mudança, segundo Freitas, foi possível dedicar mais tempo às causas sociais, mobilizando parceiros em torno de projetos de assistência social.

Entre os trabalhos, estão a criação de um grupo de escoteiros no bairro Jardim Noroeste, onde moram 13 mil habitantes e existe carência de locais de lazer. Mais de 80 crianças e adolescentes já aderiram à iniciativa e se preparam para assumir o compromisso com o escotismo. Em parceria com empresários da cidade, o sargento viabilizou ainda a doação de alimentos e roupas a uma comunidade indígena que vive em um assentamento.

Sargento Di Freitas, policial poeta em Campo Grande (Foto: Arquivo pessoal)

Sargento Di Freitas ajuda a distribuir kits escolares a crianças carentes (Foto: Arquivo pessoal)

Link:http://g1.globo.com/mato-grosso-do-sul/noticia/2011/08/sargento-da-pm-procura-patrocinio-para-publicar-poesias-em-ms.html

Comentários

Pedra do Sertão disse…
Bem legal o trabalho do policial! Que ele tenha sorte em sua luta para publicar!

Postagens mais visitadas deste blog

Dia de Reis, desmonte da árvore, romã...

Outono!