ELEFANTES - "Enquanto o Rei da Espanha sai para matar elefantes na África, me lembrei deste poema que está em VESTÍGIOS (Rocco, 2005)"

 

Entrementes leio
que em Daknei
os elefantes vão ao rio banhar-se
na Lua Nova
e depois de assim saudá-la
voltam à floresta tranquilos.
Quando doentes
(também leio)
com suas trombas
lançam ramos de árvores
ao céu
como se oferecessem sacrifício
a um deus qualquer.
Pode ser tudo interpretação humana.
Mas na India (já foram vistos)
no crepúsculo
— os elefantes choram.

   Affonso Romano de Sant'Anna

Do livro: "Vestígios", Rocco, 2005, RJ

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dia de Reis, desmonte da árvore, romã...

Outono!