NOITE (Impressões de Chopin)

 

Falecimento de Frederic Chopin (1849, Paris), A. J. Pereira da Silva

Ei-la em seu torno lúgubre, a infecunda
Deusa da Noite ou do desolamento.
Nada discerne o olhar, o ouvido atento
Na grande solitude que a circunda.

A sua sombra inunda o espaço, inunda
Bum eflúvio de dor, o firmamento,
Como se após o incêndio mais violento
Cobrisse a terra escuridão profunda...

Entretanto, como um pássaro de luto,
A tenebrosa Deusa do Abandono
Estende o seu domínio absoluto

E vai nos céus mais negros que uma furna
Rolando a Terra bêbada de sono
Pela sinistra solidão noturna...

 

A. J. PEREIRA DA SILVA

Do livro: "Antologia da Academia - Cadeira 18", organizador Arnaldo Niiskier, Col. Afrânio Peixoto da Academia Brasileira de Letras, ABL, 1999, RJ
Enviado por Arnaldo Niskier

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dia de Reis, desmonte da árvore, romã...

Outono!