NOITE (Impressões de Chopin)

 

Falecimento de Frederic Chopin (1849, Paris), A. J. Pereira da Silva

Ei-la em seu torno lúgubre, a infecunda
Deusa da Noite ou do desolamento.
Nada discerne o olhar, o ouvido atento
Na grande solitude que a circunda.

A sua sombra inunda o espaço, inunda
Bum eflúvio de dor, o firmamento,
Como se após o incêndio mais violento
Cobrisse a terra escuridão profunda...

Entretanto, como um pássaro de luto,
A tenebrosa Deusa do Abandono
Estende o seu domínio absoluto

E vai nos céus mais negros que uma furna
Rolando a Terra bêbada de sono
Pela sinistra solidão noturna...

 

A. J. PEREIRA DA SILVA

Do livro: "Antologia da Academia - Cadeira 18", organizador Arnaldo Niiskier, Col. Afrânio Peixoto da Academia Brasileira de Letras, ABL, 1999, RJ
Enviado por Arnaldo Niskier

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Outono!

LITERATURA DE CORDEL: A MEMÓRIA DO SERTÃO EM FOLHETOS