QUEBECK



Quebeck das distâncias,
das casas iluminadas
e do caudaloso São Lourenço.
De ruas estreitas,
curvilíneas,
casas barrocas
coloridas como paixão.
Quebeck dos sonhos dourados,
de ciprestes e castelos seculares.
De parques e tapetes amarelecidos
e das árvores frondosas
que me perco no olhar.
À beira de tudo,
o instante.
Instante das estrelas
e dos olhos esquecidos de um tempo.

                         

                                                        Geraldo Coelho Vaz
 
Do livro: O outro caminho, Ed. Renascer, 2007, Goiânia/GO


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Outono!

LITERATURA DE CORDEL: A MEMÓRIA DO SERTÃO EM FOLHETOS