Cinema, poesia e prosa

Cinema

Último dia do Festival 12º NÓIA - Festival Brasileiro de Cinema Universitário

 

 

Poesia

Temática cidades internacionais: Bagdá (Iraque), Francisco Orban

Bagdá/Rio

 

Fico em casa, entre as telhas do tempo
desorganizadas
Amparado só pelas estrelas
Assolado pelas palavras
que chegam
Não é a minha língua
o que se fala pela tarde
onde se ouvem as balas e os tambores
Não é a língua da partilha o que se ouve
mas a solidão da carne
estraçalhada
Fico em casa
assistindo a nova guerra
feita para matar
ferir a madrugada e fazer harpas milenares
desaparecerem  do mundo
Mas como falar sobre  razão
entre as palafitas dos sonhos
da minha geração perdida
olhando o menino sem braços
que chora em Bagdá
os meninos das ruas do Rio de Janeiro
os meninos e as meninas
da minha cidade ferida

                   Francisco Orban

 

 

 

Prosa

Temática Terceira idade: Chico Lopes

 

“Meu conselho aos jovens: envelheçam, antes que seja tarde!"
Nelson Rodrigues

Gosto do conselho do Nelson. Mas envelhecer é dramático. O pior mesmo é a perda das energias. Você atinge uma serenidade diferente, uma indiferença densa em relação a um monte de besteiras do mundo, mas o preço é uma letargia, uma falta de vontade para agir e realizar que, aos poucos, vai ficando mais e mais dramática. E também seu corpo se deteriora, os sentidos ficam menos agudos. Talvez haja uma compensação pra escritores, pois a memória de fatos mais remotos se aguça. Na balança geral, no entanto, as perdas são notórias. Não adianta mistificar: espírito e corpo andam juntos, e juntos envelhecem. Impossível ter espírito "jovem", como se diz por aí, demagogicamente, na "Melhor Idade", nada mais que uma propaganda de médicos, geriatras e farmacêuticos – é a Melhor Idade só pra eles...

                                                                                                                                                                                                                                                                    Chico Lopes

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Outono!

LITERATURA DE CORDEL: A MEMÓRIA DO SERTÃO EM FOLHETOS