Aniversários de vida e de morte



* 1783 - Stendhal
* 1931 - Rubens Corrêa
* 1933 - Joaozinho Trinta
* 1941 - João Ubaldo Ribeiro
* 1943 - Vital Farias


+ 1883 - Gustave Doré
+ 1989 - Salvador Dalí
+ 1944 - Edvard Munch




Busco explicar um sonho em que pintei Dali

chamas dão-se ao vento em agonia
dissolução líquida
lúcida
tramas milenares transformam-se em contas
e se soltam desenham asas
para o tempo de um remoto dia

esquecidas
veias e luas em simbiose de vermelho
misturam-se a pedras destruídas e granito
flechas e facas atravessam tela e ar
renascem flor a explodir um sol escuro
estrela nova de um mundo estranho

impuro
pressentimento é caos e nuvem
radiativa
sopro derramado num corpo de mulher
coração a fraquejar risco e tecido
teares
tons distorcidos
[e o tempo escorre]

esta noite a delirar
diria ter pintado uns brilhos de cristal indestrutível
na loucura e no negror
do teu olhar

Eliana Mora - Para Salvador Dali - 5/DEZ/2005


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Outono!

LITERATURA DE CORDEL: A MEMÓRIA DO SERTÃO EM FOLHETOS