O grande herói do teatro brasileiro!

 
Morre o ator Sérgio Britto
'Perco o meu irmão', diz Fernanda Montenegro em velório de Britto. Atriz foi ao velório neste sábado e relembrou a amizade com o ator. Sérgio Britto morreu em decorrência de uma insuficiência respiratória.

A atriz Fernanda Montenegro se emocionou no velório do ator Sérgio Britto, que morreu neste sábado (17), após uma insuficiência respiratória aguda. “Não perdi um amigo. Perco o meu irmão. Fazíamos parte de uma família artística muito íntima e particular, formada por mim, Britto, Ítalo (Rossi), Fernando (Torres) e Nathália Timberg. Uma família de muitos trabalhos e convivío geral. Infelizmente só sobrou eu e Nathália”, disse a atriz durante a cerimônia realizada na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Outros atores e colegas de Britto também lamentaram a perda. Mais cedo, em entrevista por telefone à GloboNews, os atores Juca de Oliveira e Walmor Chagas, emocionados, comentaram o legado deixado pelo amigo.

"Sérgio Brito foi a maior vocação do teatro brasileiro. Há pessoas que têm talento, mas não tem a paixão, o amor, a presença definitiva dele com relação ao teatro. Ele deixa uma obra impressionante. Um dos maiores atores dos últimos tempos", declarou Juca.

O apresentador Serginho Groisman, via Twitter, escreveu: "Morreu hoje o ator e diretor Sérgio Britto. O teatro, o cinema e a televisão agradecem seu talento."

A Secretária de Cultura, Adriana Rattes, diz a tinha uma relação de grande admiração por Sérgio Britto, que foi seu professor na juventude.

"A imagem que fica de Sérgio Britto é de um homem de vivacidade, ironia e inteligência agudas. Ele não era somente uma grande pessoa, mas também um grande artista, um grande talento, um mestre. É uma grande perda para o Rio, que hoje também perdeu o carnavalesco Joãosinho Trinta. Este é o momento de reverenciá-los, lembrá-los. Eles eram dois patrimônios da cultura que fizeram do Rio o que ele é hoje", disse Adriana.

Fernanda, que chegou ao local pouco antes das 16h, destacou ainda que Britto era um homem extremamente generoso, honesto e de muita liderança. “Ele sempre liderava, mas não colonizava. Era uma pessoa excepcional, porque viveu uma grande vida, principalmente em um país como o nosso, carente de valores éticos e comportamentais”, comentou a atriz.

Chegada do corpo de Sérgio Brito à Assembleia Legislativa do Rio (Foto: Alba Valéria Mendonça/G1)

Chegada do corpo de Sérgio Brito à Assembleia Legislativa do Rio (Foto: Alba Valéria Mendonça/G1)

Segundo informações da Alerj, o local permanecerá aberto para as homenagens até às 19h e será reaberto às 7h do domingo. A previsão é de que o corpo seja transportado até o Cemitério São Francisco Xavier, no Caju, na Zona Portuária, às 9h, onde será enterrado às 11h, no jazigo da família (o G1 informou anteriormente que o enterro seria realizado no Cemitério São João Batista, em Botafogo, na Zona Sul, segundo nota divulgada pela Alerj; mais tarde, a sobrinha do ator, Marília Britto, corrigiu a informação e divulgou o local correto).

Sérgio Britto estava internado no Hospital Copa D’Or, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, desde o dia 14 de novembro com problemas cardíacos e faleceu às 6h35 de insuficiência respiratória aguda. A informação foi confirmada pela assessoria da Rede D'Or.

Ator, diretor e empresário brasileiro, Britto dedicou a vida aos palcos desde 1945, quando participou de uma montagem da peça "Romeu e Julieta", no Teatro Universitário. Atuou e dirigiu mais de 130 peças. Trabalhou no grupo Teatro dos Doze, no Teatro de Arena, no Teatro Brasileiro de Comédia e fundou, ao lado de Ítalo Rossi, Gianni Ratto, Fernanda Montenegro e Fernando Torres, o Teatro dos Sete, no final dos anos 60.

Foi também o criador do Grande Teatro Tupi e do Teatro dos Quatro, no Rio de Janeiro, acompanhado por Paulo Mamede, Mimina Roveda e José Ribeiro Neto.

Site: http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2011/12/perco-o-meu-irmao-diz-fernanda-montenegro-em-velorio-de-britto.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dia de Reis, desmonte da árvore, romã...

Falecimento Hilda Hilst (2004, Campinas/SP)

FEIRA LITERÁRIA DE ASSIS/SP