TELEVISÃO

 

Silêncio!
É hora de velar a tela.
De ver a imagem,
miragem.

Silêncio!
É hora de velar
o ataúde
com os seus mortos falantes.
Silêncio!
É hora de assistir
ao jornal.
Feche o livro,
encerre o riso,
fale apenas no comercial.

Silêncio!
É hora do beijo final.
A pipoca está sem sal...
Mude de canal.

                         Ivan Santtana

Do livro: À margem de mim, João Scortecci Editora, 1996, SP

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Outono!

LITERATURA DE CORDEL: A MEMÓRIA DO SERTÃO EM FOLHETOS