Mentiras e verdades - Pedro Zeballos



Quando vi que os teus olhos
não olhavam mais nos meus
tentei lhe procurar
mas você não me atendeu.
Pensei em te ligar
e dizer tudo o que sinto
mas você não quis ouvir.
Entre nós há um abismo.
As pessoas nos perguntam
por quê não conversamos
e dizemos que é porque
não nos amamos.
É mentira, sei que é.
Nada mais posso fazer.
Minha sina é te amar,
meu destino é te perder.

Leiam mais poesias desse autor

Comentários

Reginaldo disse…
Aí Pedro, trabalhei contigo na Radio Educadora em 1992, lembra? O Tempo passou e me tornei professor de história no Estado. Estou terminando o último semestre de jornalismo aqui mesmo em Fernandópolis, depois vou fazer pós em publicidade e propaganda e pretendo ir em SAMPA. Grande abraço!
Ivana Mihanovich disse…
Melancolia colorida, ou o passional desapontado?
Ahhh, a poesia pisciana, hein, Petrus?...rs
Mas o doído mesmo é que nós, do oceano, sempre acertamos dedos em feridas.
Lindas imagens.
Bjs

Postagens mais visitadas deste blog

Outono!

LITERATURA DE CORDEL: A MEMÓRIA DO SERTÃO EM FOLHETOS