AQUI ONDE MORO

 

Aqui onde moro
Quero-queros logo gritam
Se alguém se aproxima.
A coruja à tarde observa
Pra de noite começar.

Tartarugas no verão
Primavera por quê não?
Correm lépidas pra chuva
Atrás de água pra beber
Cantinho pra namorar.

Beija-flores nas grevilhas
Russélias brancas, vermelhas
Aguardam carinhos e beijos
Enquanto ixoras sorriem
Esperando sua vez.

Jasmins de todas as cores
Com suas formas variadas
Exalando olores diversos
Perfumam o ar, dançam ao vento
Trazem paz, doces alentos.

Gerivás e garirobas
Reais e imperiais
Arecas e washingtônias
Palmeiras aqui não faltam
Pra brindar as helicônias.

Aqui onde moro me integro
Entrego-me às plantas e aos bichos
Mensageiros do vento tilintam
Alertam pra chuva que vem
E pra que vai embora também.

Os bichos que aqui trafegam
Não precisam de controle
Seja em terra ou no ar
Não se agridem como os homens
Vivem em total sintonia.

Márcia Sanchez Luz

Do livro: "No verde dos teus olhos", Ed. Protexto, PR, 2007

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dia de Reis, desmonte da árvore, romã...

Falecimento Hilda Hilst (2004, Campinas/SP)

FEIRA LITERÁRIA DE ASSIS/SP