O UNIVERSO VIRTUAL

 

 

Em seguida, pois, tudo se faz, se fará, se fez online.

Todos os canais estão, estarão online.

Tudo se dará online.

Lemos tudo, sabemos tudo, invadiremos tudo – online.

Todos os nossos compositores, intérpretes estão estarão online.

Os nossos textos, os nossos poemas, os nossos nome lá.

Ouvimos música, vemos filmes, lemos romances online.

A vida não será mais possível fora da web.

Estaremos confinados nesse grande, imenso, imensurável universo virtual.

Tudo que teremos, tudo que quisermos se abre na tela.

Toda a nossa cultura, os nossos museus, os nossos medos, as nossas alegrias.

Tudo, todo o prazer, o nosso corpo, as nossas emoções, as nossas memórias, os nossos sonhos.

Vamos abandonar as ruas, encapsularmo-nos nos nossos quartos, nas mínimas celas de nossas individualidades.

Jamais sairemos, jamais nos desconectaremos, estaremos dia e noite conectados, acordados no sentido de um acordo, interconectados com tudo e com todos, nos submundos onlines.

O passado, o presente e o futuro estarão nas invisíveis veias das nossas conexões.

Não haverá morte, nem vida, nem amor, nem ódio, somente as tecnologias aceleradas.

Encomendaremos e receberemos tudo online, mesmos nossos alimentos espirituais e materiais.

As infalíveis máquinas, as inimagináveis máquinas, as máquinas.

Em seguida, pois, tudo se faz, se fará, se fez online.

Os nossos companheiros, as amadas e famílias.

Não haverá liberdade, impossível aprisionar o não real, o virtual.

Não teremos corpos, doenças, nascimento, envelhecimento e morte.

Não sentiremos dor, sofrimento, isolamento, abandono.

Seremos o todo perdido.

O virtual final.

ROGEL SAMUEL

Comentários

Esse texto nos leva a fazer uma viagem virtual dentro de nós. Reflete nosso universo, e põe a refletir nossa condição humana.

Compartilhado!

Postagens mais visitadas deste blog

Dia de Reis, desmonte da árvore, romã...

Outono!