Lucas Figueiredo Silveira


lucas
Poema das sete capas
                                     
                                               Quando nasci, um anjo aficionado por livros
                                               Desses que vivem em bibliotecas, sebos e livrarias
                                               Disse: Vai, Lucas! Vai ser leitor na vida.


Os pássaros se voassem mais alto talvez
Pudessem encontrar Deus.
Se “A hora da estrela” não tivesse sido escrita por
Clarice Lispector, seria a obra mais cômica da Literatura brasileira.


                                               Observo quantos carros andam pelas ruas.
                                               Para que tanta roda, minha mãe!
                                               Meus ouvidos reclamam.


Ando com roupa de gala entre
Árvores e flores. Seres e verbos implícitos.
Uma nau está atracada em meu jardim.
Vasculho o porão de minha infância.

                                                          
                                                           Meus avós...! Tão perto!...
                                                           ...Tão longe...!
                                                           Sou irracional, indeciso,
                                                           Desprovido de qualquer força.
                                                           Quebrável.


Se eu me chamasse Deus,
Eu seria eu. Não Deus.
Seria um nome não uma conclusão.


                                                           Esse poema
                                                           Essa tarde chuvosa
                                                           A música!
                                                           Calmaria.
                                                           Dá vontade de ler um livro!

Lucas Figueiredo Silveira nasceu em Poços de Caldas, Minas Gerais, e, atualmente, com 15 anos, mora em Pouso Alegre, também em Minas. Com seus contos, ganhou inúmeros concursos literários, um, inclusive, já foi publicado em uma antologia em Portugal. Seu "Poema das sete capas'', paráfrase do poema de Drummond, é o seu primeiro trabalho publicado virtualmente. Também é membro da Academia Juvenil de Letras de Pouso Alegre e um leitor voraz.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dia de Reis, desmonte da árvore, romã...

Falecimento Hilda Hilst (2004, Campinas/SP)